Main menu

Marcos Costa comanda a maior moção de apoio ao impeachment apresentado pela OAB.

Nesta segunda-feira, 28, a OAB seccional São Paulo presidida pelo doutor Marcos da Costa, e juntamente com presidentes de subseções da Capital, Litoral e Interior do Estado de São Paulo entrarão pedido de moção de apoio ao impeachment apresentado pela OAB contra o atual Governo comandado pela presidente Dilma Roussef em todo o Estado de São Paulo.

A entrega do ofício foi marcada para as 16h30 na Câmara dos Deputados em Brasília, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e em todas as Câmaras Municipais do Estado de São Paulo, através de comitivas organizadas pelos presidentes de subseções e pela diretoria da OAB SP.


" Os Conselheiros Secionais e os presidentes e diretores de subseções de todo o Estado que deram um show, protocolando em todo o Estado junto às Câmaras Municipais pedido de moção de apoio ao impeachment apresentado pela OAB no Congresso Nacional " e continua "...Uma demonstração de que a OABSP está absolutamente unida em torno dessa causa republicana. Respeito como sempre às vozes contrárias, mas a maioria absoluta da advocacia paulista unindo forças e vozes pelas mesmas causas: a Constituição Brasileira e o nosso país. " encerra Marcos Costapresidente da OAB SP em sua postagem no na rede Social Face Book.


O Vice presidente da OABSP Fábio Romeu Canton Filho comandou a comitiva presente hoje na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo para a entrega da moção de apoio ao impeachment apresentado pela OAB contra o atual Governo comandado pela presidente Dilma Roussef ao presidente da ALESP Fernando Capez.


O pedido de Impeachment, foi aprovado pelo conselho federal da Ordem dos Advogados do Brasil depois de um amplo debate e após votação dos conselheiros federais que representam a entidade em todos os estados do país e será protocolado hoje, em Brasília, na Câmara Federal.


O presidente do Conselho Federal da OAB, Claudio Lamachia, detalhando a decisão favorável da entidade pela abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Roussef, afirmou que foi através de um amplo processo de consulta democrática à advocacia que terminou na semana passada, quando os conselheiros federais da OAB, eleitos pelo voto direto dos quase 1 milhão de advogados do país, concluíram que o processo de impeachment da presidente da República teria o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil.


Segundo a OAB Brasil, as razões do impeachment, elencadas em detalhado e extenso voto lido em uma sessão extraordinária do Conselho Federal da OAB, não incluem as polêmicas escutas de conversas telefônicas entre a presidente e seu antecessor, porém levam em consideração as pedaladas fiscais, as renúncias fiscais ilegais em favor da Fifa e a intenção de beneficiar um aliado, alvo de investigação judicial, atribuindo-lhe as prerrogativas de ministro de Estado